Campanha Não Fracking Brasil faz nova ofensiva no Sudoeste do Paraná

 

Francisco Beltrão, cidade polo da região, proibiu operações para exploração do gás de xisto e servirá de modelos para as demais que ainda estão desprotegidas

 

“Ao contrário de outras regiões do Brasil, no Sudoeste do Paraná estamos intensificando a campanha contra a exploração do gás de xisto por fraturamento hidráulico (fracking) a partir de Francisco Beltrão, cidade polo que servirá de modelo para as outras que ainda não têm a legislação que proíbe essa e outras atividades minerárias”. A afirmação é de Juliano Bueno de Araujo, coordenador de Campanhas Climáticas da 350.org e da COESUS – Coalizão Não Fracking Brasil pelo Clima, Água e Vida.

 

 

Juliano comemorou a aprovação por unanimidade na Câmara Municipal de Francisco Beltrão na última segunda-feira, 05, do projeto de Lei de autoria da vereadora Elenir de Souza Maciel (Foto) que proíbe operações de fracking na cidade. “Na verdade, a cidade já tinha aprovado uma legislação em 2015 que estava defasada. Agora, a população da cidade e do campo está definitivamente protegida ao banir para sempre o fraturamento hidráulico e qualquer outra exploração de combustíveis fósseis que provoque contaminação e destruição”, completou.

 

Seminário regional

Com o apoio de gestores públicos, parlamentares, lideranças políticas, religiosas e dos movimentos sociais, o projeto de Lei elaborado pela COESUS e 350.org Brasil será encaminhado para as 42 cidades da região. Outra ação é a realização no próximo dia 19 de junho de um seminário regional que irá apresentar os riscos e perigos do fracking que está sendo coordenado pela Associação de Estudos, Orientação e Assistência Rural (ASSESOAR) e terá a participação de representantes da COESUS.

“Estamos fazendo um esforço para ampliar a proibição do fracking, inclusive a pesquisa sísmica, e proteger toda a nossa região, inclusive dos testes sísmicos”, garantiu Esmeralda Gusmão, voluntária da Defesa Civil e da campanha Não Fracking Brasil.

 

 

A passagem dos caminhões vibradores pelas cidades do Sudoeste do Paraná gerou pânico na população e causou prejuízos nas edificações, pontes e estradas. O temor de novos terremotos induzidos fez com que os prefeitos e vereadores fossem pressionados pela população para aprovar a legislação proibitiva.

No Brasil, mais de 350 cidades já proibiram o fracking, a maioria delas no Paraná. Só no Norte e Norte Pioneiro, mais de 50 já aprovaram no último ano e outras 50 debatem desde fevereiro a proposta. A campanha também está crescendo em São Paulo, Mato Grosso, Maranhão, Piauí, Ceará e Bahia.

 

 

Por Silvia Calciolari

Fotos: João Danieli/COESUS/350Brasil

 

 

Comments
  • Boa tarde,

    Achei incrível o seu artigo, gostaria de conscientizar as outras pessoas/entidades também.

    No texto, você me menciona “No Brasil, mais de 350 cidades já proibiram o fracking, a maioria delas no Paraná.”, onde posso conseguir essa lista atualizada das cidades?

    Agradeço

    Marcelo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Enquire here

Give us a call or fill in the form below and we'll contact you. We endeavor to answer all inquiries within 24 hours on business days.
[contact-form-7 id="5208"]