350.org repudia ordens executivas de Donald Trump sobre Keystone XL e Dakota Access

 

 

Donald Trump, como sempre, foi Donald Trump, mesmo investido do cargo de presidente dos EUA. Nem bem chegou à Casa Branca, em minutos emitiu duas ordens executivas sobre os oleodutos de Keystone XL e Dakota Access. Aquela terra é toda sagrada para os índios da tribo americana sioux. Mas, antes de tudo, é por ela que passa o Rio Missouri, fonte de água potável para índios e não-índios.

 

350-org_protest

 

 

 

billEm resposta, o cofundador da 350.org, Bill McKibben, fez a seguinte declaração:

“Mais pessoas enviaram comentários ao governo contra Dakota Access e Keystone XL do que em relação a qualquer outro projeto na história. Climatologistas e vencedores do prêmio Nobel de todo o mundo já explicaram milhares de vezes porque essas iniciativas não são inteligentes e são imorais. E, em uma das suas primeiras ações como presidente dos Estados Unidos, Donald Trump ignora tudo isso, na sua avidez por servir à indústria do petróleo. Esse foi um dia negro, mas continuaremos a lutar”.

“Este não é o final da história. No último capítulo, a TransCanada estava tão confiante que eles literalmente cortaram a faixa onde planejavam construir o oleoduto – antes que o poder popular os detivesse. As pessoas vão se mobilizar novamente”.

 

 

may_boeve

 

A diretora executiva da 350.org, May Boeve, complementou:

“É evidente que o Trump não sabe o que está fazendo. Povos indígenas, proprietários de terras e ativistas climáticos fizeram todo o possível para frear o Keystone XL e o Dakota Access. E eles farão tudo outra vez! Essas ordens reinjetam energia na ampla e difundida oposição a esses oleodutos e outros projetos sujos. Trump está prestes a dar de cara com a resistência aos combustíveis fósseis”.

 

 

 

 

nicole_cop22

 

Nicole Figueiredo de Oliveira, diretora da 350.org Brasil e América Latina, disse:

“Diante das câmeras, antes mesmo do segundo click, o aprendiz do caos climático protagonizou um show de violação dos direitos indígenas, assassinato do licenciamento ambiental e o empurrão do planeta terra ainda mais próximo das catástrofes ambientais. O começo da temporada demonstra que os próximos episódios serão cada vez mais ‘fósseis’. É um sinal claro de uma mudança na política energética americana que enfatiza e perpetua a dependência dos hidrocarbonetos. Vamos nos mobilizar e lutar para que esse reality show não seja replicado no Brasil e na América Latina.”

 

 

Fonte: 350.org Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Enquire here

Give us a call or fill in the form below and we'll contact you. We endeavor to answer all inquiries within 24 hours on business days.
[contact-form-7 id="5208"]